O maior arranha céu em madeira, dos países baixos

haut-edificio-madeira-mais-alto-holanda-01

Está previsto para o segundo semestre de 2017, a conclusão da construção em madeira, do maior arranha céu dos países baixos.

O Edifício Haut, que significa topo em francês e é uma abreviação de “Haut Couture”, derivado da idéia de projeto sob medida, terá 73 metros de altura, 21 andares, 55 apartamentos e ficará localizado na zona ribeirinha de Amsterdã, nas margens do Rio Amstel.

Apesar de ainda pouco “difundida”nas construções no Brasil, a madeira tem sido cada vez mais usada para construir prédios em várias cidades do mundo. Londres, Estocolmo, Vancouver e Bourdeaux –  todas têm arranha-céus com a estrutura feita parcial ou completamente de grandes blocos do material.

Ao contrário do que muitas pessoas sabem, o material é poderoso, podendo ser tão resistente quanto o aço e o concreto, flexível o suficiente para manter a construção em pé, em caso de terremoto e também, bastante resistente ao fogo.

Além disso, uma construção de madeira traz ao meio ambiente, um enorme ganho, já que a produção de aço e concreto é responsável por 8% das emissões de carbono do mundo, enquanto a madeira é produzida naturalmente, apenas com energia solar – sem emissão de carbono nessa fase. Enquanto crescem, as árvores também consomem CO2 e liberam oxigênio na fotossíntese, o que equilibra um pouquinho mais a emissão da construção do prédio.

As árvores usadas na extração de madeira para a construção são cortadas de forma responsável, seguindo o plano de manejo florestal , que regula quando e quais espécies devem ser retiradas, para que cresçam naturalmente do solo ou sejam replantadas.

No caso do Haut, o cuidado com o meio ambiente vai além do material usado na construção: o prédio foi pensado para ser todo sustentável, com fachadas de alumínio que transformam a luz solar em energia, caixas para captar água da chuva e garagens onde há tomadas para carregar carros elétricos. Além disso, o térreo do edifício será uma horta comunitária, onde os moradores poderão plantar seus próprios alimentos.

Além da sustentabilidade , o prédio tem um grande diferencial, pois os apartamentos poderão ser planejados como o proprietário quiser – isso inclui o número de quartos, andares, mezaninos e varandas. A previsão de finalização dessa construção super inovadora, é no segundo semestre de 2017. Quem aí já está curioso para conhecer?!

download